ENTRE EM CONTATO

CONTATO

Para propostas comerciais, sugestão de casos ou para elogios ou até mesmo reclamações, preencha o formulário.

ENTRE EM CONTATO

CONTATO

Para propostas comerciais, sugestão de casos ou para elogios ou até mesmo reclamações, preencha o formulário.

ENTRE EM CONTATO

CONTATO

Para propostas comerciais, sugestão de casos ou para elogios ou até mesmo reclamações, preencha o formulário.

Quando o amor vira obsessão? Quando a admiração vira inveja? E o mais importante de tudo: como reconhecer quando isso acontece com uma pessoa tão próxima de você, acima de qualquer suspeita? No Caso Reais de hoje, a história de uma amizade entre uma fã e uma artista, que acabou da pior forma possível. 

INÍCIO DO EPISÓDIO

A história que eu vou contar hoje é a história de Selena Quintanilla, uma das cantoras mais queridas de todos os tempos. Esse episódio é como se fosse aquela típica história de filme com final trágico, e que a gente nunca acredita que pode ser real, mas é. E quando eu falo trágico, eu não estou de brincadeira. Ao longo do episódio de hoje, vocês vão entender o que eu quero dizer com isso. 

Pra que a gente consiga dar um background importante pra nossa personagem, vamos começar falando da sua vida e da sua infância. Quem foi Selena Quintanilla antes da fama? 

Selena nasceu em 16 de abril de 1971 em Lake Jackson, no estado americano do Texas. Seus pais eram Abraham Quintanilla Júnior, um ex-músico mexicano-americano, e Marcella Samora Quintanilla, que possuía ascendência cherokee, os indígenas norte-americanos. Se você já viu alguma foto ou vídeo da Selena, você consegue perceber essa mistura de etnias. Ela era uma mulher muito bonita.

A família de Selena era dona de um restaurante mexicano no Texas e esse restaurante era a principal fonte de renda da sua família. Seus pais se dedicavam a esse restaurante e investiam todo o seu tempo e seus esforços em fazer prosperar o negócio. 

A vida, que até então parecia tranquila, sofreu uma reviravolta. No início dos anos 80, o estado do Texas acabou sofrendo bastante com a crise do petróleo e, como a gente sabe, quando o petróleo entra em crise, várias indústrias e empreendimentos acabam entrando em colapso ao mesmo tempo, porque dependem muitas vezes dos preços das suas matérias primas que tem no petróleo um grande custo de produção. 

Em meio a essa crise, o restaurante de seus pais decretou falência e, logicamente, eles precisavam de uma alternativa para sustentar a sua família. Foi aí que Quintanilla, seu pai, viu uma maneira de voltar à indústria da música. Ele percebeu que Selena tinha o tempo e altura perfeita para ser cantora e resolveu reunir todos os seus filhos em uma banda chamada Selena y Los Dinos. A configuração da banda era assim: Selena ficava nos vocais, A.B. Quintanilla ficava no baixo, e Suzette Quintanilla na bateria. 

O grupo acabou dando super certo e rapidamente acabou se tornando de fato uma fonte de renda para a família. Logo começaram a fazer shows pela região e ganhar dinheiro com as apresentações. Algum tempo depois, a família se mudou para Corpus Christi, no Texas, e a banda começou a gravar suas primeiras músicas.

Não demorou muito pra que lançassem o seu primeiro álbum. Em 1984, houve a estreia de Selena y Los Dinos em parceria com uma pequena gravadora independente da região. Abraham Quintanilla ocupava a posição de produtor da banda e tinha algumas predileções em relação ao gênero musical que seus filhos tocassem. Para ele, seus filhos deveriam gravar canções de música texana. Esse estilo musical era majoritariamente composto por homens, então imagina só ver uma banda composta por jovens onde uma menina era a vocalista. Bem diferente, né? 

Não demorou muito para a visibilidade de Selena como artista solo, crescesse a cada apresentação. No ano de 1987 veio o primeiro reconhecimento: o prêmio de Melhor Vocalista do Ano no Prêmio de Música Texana. No ano seguinte, Selena conseguiu o seu primeiro contrato com uma grande gravadora, a Capitol EMI Latin.

O que pode parecer uma história de sucesso, e de fato foi, guarda algumas particularidades que só uma mulher viveria em um ambiente musical machista: apesar de seu enorme sucesso, Selena passou grande parte de sua carreira combatendo o sexismo na indústria musical de Tejano. Volta e meia ela tinha empregos negados e era super criticada por entrar no espaço musical dominado pelos homens.

Cerca de três anos depois, em meados de 1991, Yolanda Saldívar, uma verdadeira fã da música texana foi a um dos shows de Selena na cidade de San Antonio. Há quem diga que Yolanda nutria, de início, uma certa antipatia por Selena, porque ela fazia tanto sucesso e acabava vencendo prêmios que os seus artistas favoritos de música texana estavam concorrendo.

Por ironia do destino, Yolanda resolveu "dar uma chance" pra Selena quando uma de suas sobrinhas, que era super fã da cantora, a chamou para ir ao show.  E é aí que toda a história de Selena Quintanilla começa a mudar. 

Depois de assistir ao show, Yolanda acabou se tornando uma grande fã. Ela amou o show, se divertiu e entendeu o porquê de Selena ser tão reconhecida no meio tejano. No dia seguinte, ainda sob aquela euforia, ela procurou notícias relacionadas ao show como uma lembrança do que ela viveu, mas não encontrou. Não era como hoje em dia que você já sai do show com um resumo inteiro do que aconteceu no instagram, por exemplo. 

Por causa dessa dificuldade de encontrar informações sobre as notícias da agenda e as opiniões sobre os shows, Yolanda teve a ideia de montar um fã-clube de Selena na área onde ela morava. Ela tentou entrar em contato com Quintanilla, o pai de Selena, pedindo, então, autorização para começar um fã-clube em San Antonio. Ele decidiu marcar uma reunião com ela e conversar sobre como seria esse fã-clube, e essa reunião aconteceu da melhor forma possível e eles chegaram a um acordo. 

Em junho de 1991, Yolanda se tornou a fundadora e presidente do fã-clube de Selena em San Antonio. E dentre todas as suas atribuições, ela ficou responsável pelos benefícios dos membros do fã-clube. Bom, vamos lá: havia uma taxa para participar do fã clube da Selena, de mais ou menos 22 dólares. Por conta desse pagamento, os fãs cadastrados recebiam produtos, como uma camiseta com o nome da cantora, tinham acesso a entrevistas exclusivas com a banda, uma ficha técnica sobre o grupo e avisos exclusivos sobre futuros shows.

Mas você deve estar pensando: para onde vai esse dinheiro??? Bom, todas as arrecadações das taxas eram doadas para as instituições de caridade. E a relação entre o fã clube e a família de Selena era intermediada por Yolanda e Suzette, sua irmã. Yolanda não conhecia Selena pessoalmente até dezembro de 1991. Antes disso, ela ficou amiga íntima de Suzette, e passou a se tornar próxima a família Quintanilla.

Mas vamos dar uma pausa rápida nessa questão da Yolanda pra trazer um outro assunto mega importante na vida da Selena: o envolvimento romântico com aquele que seria seu futuro marido, Chris Pérez. Daqui a pouco eu prometo que volto com o desenrolar da história da Yolanda.

Bom, então vamos lá: Selena Quintanilla conheceu o futuro marido Chris Pérez quando ele se tornou guitarrista de sua banda. Ele acabou sendo recrutado pelo irmão de Selena, o A.B. Quintanilha. A.B. Estava precisando de um guitarrista o mais rápido possível, porque a banda estava fazendo mais sucesso e precisava investir nos seus shows. Chris, que já trabalhava com alguns contratantes, fez alguns telefonemas e se desvencilhou de alguns acordos para trabalhar exclusivamente com o Los Dinos. 

Num primeiro momento, a relação entre Selena e Chris era como aquele caso clássico dos opostos que se atraem. Chris era tímido, super reservado e fã de heavy metal. Por outro lado, Selena era super animada e extrovertida, e amava estar no centro das atenções. Quando ele se juntou à banda, Chris namorava uma menina. Mas o relacionamento logo terminou. Independentemente disso, Chris Pérez estava muito hesitante em misturar negócios com prazer quando se tratava de Selena Quintanilla. 

Como na época em que se conheceram, tanto o Chris quanto a Selena eram menores de 21 anos, enquanto os outros saíam muito juntos e iam em boates e festas, os dois acabavam sobrando e ficando muito tempo juntos. Isso, de alguma forma, acabou aproximando os dois. Tanto Selena quanto Chris estavam a fim um do outro, mas como trabalhavam juntos, isso não era tão simples assim. 

À medida que os dois iam se aproximando, Selena sentiu que era hora de investigar um pouco mais à fundo os sentimentos de Chris. Por isso, ela intimou o irmão dela, A.B., a dar aquela sondada pra saber sobre os sentimentos do rapaz. Chris confessou que gostava muito dela, mas disse que se o pai de Selena soubesse de alguma coisa, ele era capaz de mata-lo.  O irmão da menina ficou rindo do medo que ele tinha. 

Até que em uma viagem de trabalho, a banda viajou para o México. Selena Quintanilla era porta-voz da coca cola , e a banda foi comemorar um jingle que escreveram para a marca. Nessa viagem, os sentimentos de Chris Pérez por ela começaram a se aprofundar. Na viagem de avião, os dois sentaram lado a lado. Coincidência do destino ou não, o avião pegou uma turbulência super forte e os dois deram as mãos no voo. Chris estava muito preocupado porque não sabia como a banda reagiria a um relacionamento entre os dois, mas resolveu seguir seu coração. 

Tanto Selena quanto Chris Pérez sabiam que o pai de Selena desaprovaria esse relacionamento. Então, eles esconderam dele o maior tempo possível. Quando Abraham soube do que estava acontecendo, ele confrontou o rapaz do lado de fora do ônibus da turnê de Los Dinos, dizendo algo do tipo: “Eu não sei o que está acontecendo entre você e Selena, mas o que quer que seja, para agora”, Pérez ficou desnorteado depois dessa conversa, mas tudo o que podia fazer no momento era concordar com Quintanilla, até porque ele estava em uma posição hierárquica na vida dos dois muito maior. 

Como vocês imaginam, quando o Abraham descobriu o que estava acontecendo entre Selena e Chris, ele explodiu. Demitiu o rapaz na mesma hora e disse pra ele encontrar o caminho de casa. Assim. Bem objetivo mesmo. Na verdade, Abraham via Chris como uma ameaça. Não só à sua filha, mas a toda carreira que estavam construindo. 

Selena, por sua vez, foi mais incisiva. Em uma noite, num quarto de hotel, fez o ultimato: “Vamos nos casar!”. Para ela, era muito mais importante selar aquela relação e salvar o seu relacionamento do que lidar com as consequências em relação à desaprovação do seu pai. Chris, por outro lado, tinha muito medo do que casar com Selena faria com seu relacionamento com Abraham. Mesmo com todas essas dúvidas e medos, os dois fugiram para se casar. No dia 2 de abril de 1992, no Condado de Nueces, eles selaram a união.

Agora que vocês já sabem mais ou menos o contexto dessa relação amorosa entre o Chris e a Selena, vamos voltar pra Yolanda? Eu comentei com vocês que, nessa mesma época, Yolanda resolveu criar um fã clube para Selena. Pra vocês terem uma ideia, em 1994, ela já havia inscrito mais de 8 mil pessoas no fã-clube. Ela realmente estava empenhada em fazer a carreira de Selena acontecer. Tanto é verdade que no livro Selena's Secret: The Revealing Story Behind Her Tragic Death, a repórter e apresentadora de TV María Celeste Arrarás escreveu que Yolanda se tornou a "assistente mais eficiente" que Selena poderia ter. As pessoas notavam o quão empenhada Yolanda estava em tentar impressionar a cantora, e que ela fazia tudo que Selena pedia. 

Ela estava tão empenhada nessa missão de vida que desistiu de sua carreira como enfermeira de pacientes com câncer terminal e de pessoas com doenças respiratórias, tuberculose e câncer de pulmão. Yolanda saiu do emprego e decidiu dedicar seu tempo somente ao fã-clube, ainda que estivesse recebendo menos do que recebia quando atuava como enfermeira.

Mas essa desvantagem salarial logo mudou. Em 1994, Selena abriu duas butiques que eram internamente compostas de salões de beleza, chamados Selena Etc. E Yolanda foi apontada como a melhor pessoa para administrar as butiques, até porque a família viajava muito. Como Yolanda era super bem-sucedida no trabalho de presidente do fã clube, nada mais natural que ela administrasse as butiques da Selena. 

Em setembro do mesmo ano, a cantora contratou Yolanda como sua agente registrada em San Antonio. Depois disso, Yolanda se mudou do sul de San Antonio para Corpus Christi, para ficar mais perto de Selena.

A verdade é que por viver sempre na estrada, Selena tinha poucos amigos. Quando Yolanda entrou em sua vida (primeiro como uma fã devota, depois como uma excelente administradora), rapidamente virou sua melhor confidente. 

E como consequência dessa confiança entre as duas, Yolanda conseguiu a autorização de assinar e receber cheques e teve acesso à todas as contas bancárias associadas com o fã-clube e as butiques. Selena deu para Yolanda o seu cartão de crédito da American Express, para que ela conduzisse os negócios das duas boutiques. Mas Yolanda usou o cartão para comprar carros Lincoln Town e dois celulares para seu uso pessoal, além de gastar com besteiras e restaurantes de luxo. Os funcionários da Selena Etc. reclamavam que Yolanda sempre estava "boa" quando Selena estava por perto; e que quando ela não estava, Yolanda os tratava super mal. Para eles, ela era uma verdadeira duas caras. 

Em dezembro de 1994, as butiques começaram a passar por uma crise financeira. As contas bancárias da empresa não tinham recursos suficientes para pagar os cheques pedidos pelo banco. O número de funcionários de ambas as butiques reduziu de 38 para 14, principalmente porque Yolanda demitiu aqueles que ela não gostava. E aqueles que ficaram, reclamavam de Yolanda para Selena, mas Selena não acreditava que sua melhor amiga faria alguma coisa para prejudicá-la ou prejudicar os seus negócios. 

Como Selena se recusava a acreditar nos funcionários, eles começaram a reclamar de Yolanda para Quintanilla, o pai de Selena, que achou muito suspeito tudo isso. Ele chegou a conversar com a filha, dizendo que Yolanda podia ser uma pessoa perigosa e que era para ela prestar mais atenção. O problema é que mesmo assim Selena não suspeitava de Yolanda, até porque seu pai costumava desconfiar de várias pessoas.

Mas não era apenas nos assuntos financeiros que Yolanda se metia. Martin Gomez, desenhista associado das roupas de Selena, discutiu diversas vezes com ela, porque Yolanda administrava mal os negócios da cantora. Essa rixa entre a Yolanda e o Martin se intensificou durante os desfiles de moda de Selena; e o desenhista acusou Yolanda de destruir algumas de suas criações originais, além de dizer que ela nunca pagava as contas.

Yolanda, muito espertamente, começou a gravar algumas conversas sem contexto de Martin, e sem que ele soubesse, é claro, a fim de convencer a cantora de que o desenhista não queria o melhor para as butiques. Mas Selena confiava tanto em Yolanda que tempos depois ele foi rebaixado, já que Selena se convenceu que ela poderia desenhar suas roupas por conta própria.

Essa relação entre Yolanda e Selena parecia, de fato, uma força destrutiva e uma obsessão. Principalmente de Yolanda em relação à Selena. Em uma entrevista com Yolanda em 1995, alguns repórteres do jornal The Dallas Morning News acreditaram que a devoção dela em relação à Selena poderia ser uma doença. De acordo com um funcionário, Yolanda estava "possessiva" com essa relação com a cantora e tentava afastar a intérprete dos outros empregados. 

Em janeiro de 1995, o pai da Selena começou a receber telefonemas e cartas de fãs irritados que diziam ter pago suas taxas como membros do fã-clube e não recebiam os produtos prometidos.

Por causa disso, Quintanilla, o pai, descobriu que Yolanda havia desviado mais de 60 mil dólares em cheques falsificados do fã-clube e das butiques. No dia 9 de março de 1995, ele teve uma reunião com Selena e Suzette na Q-Productions, para confrontar Yolanda. Nessa reunião, ele mostrou pra Yolanda todas as acusações que ele teve conhecimento em relação ao desaparecimento do dinheiro do fã clube e das butiques. 

Abraham disse que ela simplesmente olhou sem responder nenhuma das perguntas. Ela ficou estarrecida. Mas o pai da cantora foi enfático: se ela não apresentasse evidências que negasse as acusações, ele iria chamar a polícia. Quando Quintanilla perguntou porque os fãs não estavam recebendo os produtos que foram prometidos, Yolanda disse que esses fãs estavam tentando ter os presentes de graça. Mas Quintanilla descobriu mais: Yolanda abriu a conta do banco do fã-clube sob o nome de "Maria Elida", que era o nome da sua irmã.Quando ele perguntou porque ela havia feito isso, Yolanda respondeu que o banco não a permitiu abrir uma conta sob seu nome, e deixou a reunião. 

Naquele mesmo momento, o pai proibiu Yolanda de falar com Selena. Mas a cantora não queria acabar com a amizade, sentindo que Yolanda era essencial para seus negócios e, além disso, Selena queria manter Yolanda por perto porque ela tinha registros bancários, extratos e registros financeiros importantíssimos sobre ela.

Após o encontro, Quintanilla descobriu que Yolanda simplesmente estava assinando cheques falsos usando o nome de sua irmã Maria Elida, descontando-os e mantendo o dinheiro para benefício próprio. E ao tentar recuperar extratos bancários do fã-clube, o pai da artista notou que eles haviam simplesmente "desaparecido".

Um dia depois de proibir Yolanda de manter contato com Selena, Quintanilla foi para a Q-Productions e a perseguiu fora das instalações. Ele lhe disse que ela não era bem vinda no local. Naquele mesmo dia, Selena e Yolanda discutiram no telefone. Ela removeu o nome de Yolanda das contas bancárias da butique em 10 de março de 1995 e colocou uma outra pessoa como a presidente do fã-clube.

No dia seguinte, Yolanda comprou uma arma na A Place to Shoot, uma loja de armas e um campo de tiro situado no sul de San Antonio, e comprou um revólver Taurus Model 85 de calibre 38. Além disso, ela também comprou balas de ponta oca do mesmo calibre. 

Para quem não sabe, essas balas de ponta oca são especificamente designadas para aumentar e potencializar o tipo de lesão que seria provocada por uma bala normal, mas causando danos potencialmente mais graves do que a bala normal. Yolanda, no momento da compra, disse ao funcionário da loja que estava comprando a bala para se proteger em seu trabalho, já que ela era uma enfermeira que cuidava de pacientes terminais, porque os parentes dos seus pacientes estavam fazendo várias ameaças. 

No dia 13 de março de 1995, Yolanda finalmente pediu demissão, fazendo com que a família de Selena acreditasse que ela estava tentando se redimir com tudo o que eles haviam descoberto. Naquele mesmo dia, ela dirigiu até Corpus Christi e deu entrada no hotel Sand and Sea. Selena chegou à cidade no dia seguinte, e logo recebeu uma ligação de Yolanda, que queria marcar uma reunião com ela. 

Yolanda disse a ela que tinha muito trânsito e pediu para se encontrar com a Selena em um estacionamento, que ficava 25 quilômetros de Corpus Christi. Ao chegar, Selena surpreendentemente disse à Yolanda que ela poderia continuar administrando seus negócios no México, que era uma grande preocupação pra ela. Isso aconteceu porque ela queria manter alguém até que outra pessoa a substituísse. 

Naquele dia, ela mostrou para Selena a arma que havia comprado. Ela disse que fez isso para proteger a cantora de seu pai. Ela acreditou e acalmou Yolanda naquele dia, dizendo que tudo ia ficar bem. Por conta dessa atitude, Yolanda acabou devolvendo a arma na loja. 

Em 30 de março de 1995, Selena entrou em contato com Leonard Wong para falar sobre os projetos de um perfume que ele havia feito para ela. De acordo com Wong, Selena lhe disse que iria se encontrar com Yolanda na manhã seguinte para pegar as amostras de perfume que ela havia roubado e deixou escapar a um dos funcionários da butique que demitiria Yolanda.  No dia 31 de março, Às 7h30 da manhã, Selena vestiu uma roupa esportiva verde e saiu de sua casa para ir ao quarto do hotel onde Yolanda estava hospedada. Lá, Yolanda havia dito à cantora que sofreu um estupro, no México, na última viagem de trabalho que fizeram juntas. 

No mesmo momento, Selena levou-a para o Doctors Regional Hospital, onde a equipe médica percebeu que Yolanda apresentava sintomas de depressão, mas os profissionais não encontraram nenhum sinal de estupro. Eles disseram à Yolanda que ela teria que ir até San Antonio para fazer um exame ginecológico. 

Enquanto dirigia em direção ao hotel Days Inn, Selena disse à Yolanda que seria melhor se elas se afastassem uma da outra por um tempo, porque assim seu pai não se preocuparia tanto com ela.  Às 10h00 da manhã Quintanilla ligou para Chris para saber o paradeiro de Selena. Ela deveria estar gravando uma canção na Q-Productions naquela manhã, mas não apareceu. Chris achou estranho e ligou para Selena, que prontamente atendeu e disse que estava resolvendo uma coisa e que apareceria por lá mais tarde.  

Esta foi a última ligação atendida por Selena, e foi também a última vez que seu marido ouviu sua voz.

Quando chegaram no quarto do hotel, Selena e Yolanda começaram uma discussão. Algumas pessoas que estavam se hospedando no hotel naquele dia disseram ouvir gritos e barulhos altos do quarto da Yolanda. 

Selena foi sincera e disse à Yolanda que não confiava mais nela, e inclusive pediu todos os seus documentos e cartões de volta.  Às 11h48 , Yolanda apontou a arma para Selena. Enquanto tentava fugir, Selena foi baleada no canto inferior de seu ombro esquerdo. A bala atingiu uma artéria e resultou em uma grande perda de sangue. O zelador do hotel, chamado Trinidad Espinoza, ouviu um "estrondo", acreditando que poderia ser uma explosão de luz. Mas era Selena, gravemente ferida. Mesmo nesse estado, a menina correu até a porta de entrada do hotel, deixando um rastro de sangue de 119 metros.

Ela foi vista apertando o peito e gritando "Me ajude! Me ajude! Eu fui baleada!", enquanto Yolanda ainda estava correndo atrás dela com o revólver, apontando-o para ela e chamando-a de "vadia”. Selena não aguentou e caiu no chão, e uma das funcionárias do hotel ligou para o 911. A condição de saúde de Selena era praticamente irreversível e piorava muito rápido. A cantora gemia e ia desfalecendo na frente dos funcionários.

A ambulância chegou ao local em um minuto e 55 segundos. Os paramédicos rasgaram a roupa verde, onde o sangramento estava ocorrendo, e aplicaram uma gaze com vaselina no ferimento de Selena, que estancou o sangramento. Os batimentos cardíacos diminuíram, e um paramédico fez ressuscitação cardiopulmonar para manter a circulação sanguínea, mas era tarde demais. 

Durante esse tempo, um paramédico tentou inserir uma agulha intravenosa em Selena, mas devido à grande perda de segue e a baixa pressão sanguínea, as veias da cantora deterioraram, fazendo com que a inserção fosse extremamente difícil. Quando os paramédicos finalmente chegaram com Selena no Corpus Christi Memoriam Hospital ao meio-dia, não havia nenhuma evidência de função neurológica e ela já não tinha mais sinais vitais.

Houve algumas tentativas de reaviva-la. Transfusão de sangue, procedimentos de emergência... até abrir o peito de Selena e encontrar grande sangramento interno. O pulmão direito da artista foi danificado, sua clavícula quebrou e suas veias não tinham mais sangue. Os médicos, ainda assim, ampliaram seu peito, colocaram medicamentos em seu coração e fizeram pressão em suas feridas. 

Mas nada adiantou. Selena foi declarada morta às 13h05 por perda de sangue e parada cardiorrespiratória.

Depois de tudo isso, Yolanda entrou em sua caminhonete e tentou fugir do hotel, mas foi flagrada por um carro da polícia. Um policial sacou a arma e mandou Yolanda sair do veículo, mas ela não obedeceu. Em vez disso, ela deu ré e estacionou ao lado de dois carros; mas a caminhonete foi bloqueada pelo carro da polícia. Ela pegou a arma, apontou para sua têmpora direita, e ameaçou se matar. 

Larry Young, o principal negociador da polícia, conseguiu convencê-la a se entregar. Mais tarde, naquele mesmo dia, Yolanda diz que a arma disparou por si só, que havia sido um acidente. Três horas depois, o resultado da autópsia: a bala havia entrado na parte inferior das costas de Selena, passou por sua cavidade torácica, cortando a artéria subclávia direita, e saiu da parte inferior de seu seio direito. Os médicos descobriram que se a bala tivesse sido atirada um milímetro a menos ou a mais, a ferida não teria sido tão grave.

Yolanda finalmente concordou em se entregar após mais de nove horas. Até então, centenas de fãs se reuniram no local; muitos choravam enquanto a polícia a prendia. 

As notícias afetaram muito a sua comunidade de fãs. Muitos viajaram milhares de quilômetros até a casa de Selena e suas butiques, bem como até a cena do crime. A cerca de arame na frente de sua casa virou um santuário e foi enfeitada com lembranças feitas por fãs que deixaram mensagens para Selena e a família Quintanilla. Selena tornou-se um ícone cultural para os latinos e foi vista como "uma mulher que tinha orgulho de suas raízes e que alcançou seus sonhos".

Inicialmente, a fiança de Yolanda teria o valor de 100 mil dólares, mas o promotor Carlos Valdez convenceu o juiz a elevá-la para 500 mil. Quando a fiança foi anunciada, as pessoas questionaram porque a penalidade de morte não havia sido cogitada. Na prisão, ela acabou enfrentando ameaças de morte dos presos. A Máfia Mexicana, uma gangue dominante no sistema penal do Texas, teria oferecido uma recompensa para aqueles que matassem Yolanda e espalharam que quem cometesse o crime seria considerado um herói. No fim do julgamento, o crime de Yolanda foi punível com a sentença máxima de prisão perpétua, com possibilidade de liberdade condicional após 30 anos. Atualmente, ela está cumprindo sua pena na Mountain View Unit em Gatesville, operada pelo Departamento de Justiça Criminal do Texas Por conta das ameaças de morte que recebe diariamente, ela foi colocada em isolamento e passa 23 horas por dia sozinha em sua cela de 2,7 por 1,8 metros.

UM PODCAST COM MISSÃO

Escute agora

CONTATO

Para propostas comerciais, sugestão de casos ou para elogios ou até mesmo reclamações, preencha o formulário.

Casos Reais Podcast · 2022 © Todos os direitos reservados.